Nosso Senhor Jesus Cristo estabeleceu a Igreja Católica para ser a “luz do mundo”, de modo que pelos sucessores dos Apóstolos pudéssemos ouvir a Sua voz e todas as nações pudessem ser conduzidas até à salvação eterna.

No entanto, nos tempos mais recentes, a autoridade moral da Igreja Católica parece haver sido sobrepujada pelo espírito do mundo, e a sua voz silenciada em questões que ameaçam a vida e a salvação eterna, especialmente dos mais jovens. Hoje em dia, em alguns países ocidentais, crianças e adolescentes estão a ser fisicamente mutilados por cirurgias de redireccionamento de sexo, medicamentos bloqueadores da puberdade e castração química, ao mesmo tempo que se vê ser semeada a confusão nas suas mentes e nos seus corações pelo espírito de impureza e pela cultura da morte. Mesmo assim, eis que muitos daqueles a quem foi confiada a preservação e propagação do depósito da fé estão mais preocupados com a aceitação “sem fazer juízos” dos que se permitem levar a cabo e promovem estas práticas do que com a protecção dos inocentes em face dos predadores, que procuram corromper e destruir.

Tal rendição ao mundo está a atingir o seu auge com esta próxima reunião em Roma chamada de “Sínodo sobre a Sinodalidade”. Ao longo dos preparativos para este encontro, muito se disse acerca do «papel das mulheres» na Igreja. Até se apresentaram sugestões para que as «estruturas» da Igreja fossem “reformadas” de modo que as mulheres pudessem participar na actividade de «governo» e se admitisse considerar o «acesso das mulheres ao diaconado».

 

 

Entre os participantes, nomeadas pelo Papa Francisco, que lhes deu um voto igual ao de um bispo ou de um cardeal, há mulheres que defenderam doutrinas heréticas e perfilham pontos de vista contrários à fé católica. Nos próprios documentos preparatórios, insinua-se um erro venenoso apontando no sentido de que pecadores públicos notórios e impenitentes devam ser «reconhecidos, acolhidos» na Igreja sem que o arrependimento seja uma pré-condição para a Comunhão sacramental. Ora, tal “reconhecimento e acolhimento” não faria senão facilitar tormentos mais terríveis para estas pessoas no outro mundo, como bem o sabe quem quer que professe a fé católica.

Também temos deparado com líderes da Igreja e outros clérigos que pretendem rever o ensinamento da Igreja sobre a homossexualidade e apoiar a bênção de uniões não naturais. Lamentavelmente, o Papa Francisco nomeou algumas destas pessoas para cargos organizacionais chave ou como membros votantes desta assembleia de Outubro.

Pertanto, a quei vescovi, gli effettivi successori degli Apostoli, mischiati nell’assemblea mista di laici ed ecclesiastici che pretende di essere un “Sinodo dei Vescovi” e che presto si riuniranno a Roma, noi sottoscritte donne laiche cattoliche chiediamo di provare che effettivamente continuano a professare la Fede cattolica.

Como mulheres católicas que praticam a fé e acreditam em tudo o que a Santa Madre Igreja ensina, desejamos ser representadas apenas por bispos, a quem Cristo confiou o governo e a chefia da Sua Igreja, e somente na medida em que acreditam e professam a fé da Igreja. Aqueles que entram por outra via são “ladrões e salteadores que não vêm senão para roubar, matar e destruir” (Jo 10,10). Nós e as nossas famílias, e, na verdade, todos os leigos católicos, temos direito a uma doutrina ortodoxa e a uma pregação fiel por parte dos pastores da Igreja (CIC, cân. 229 §1).

Por conseguinte, a estes bispos, os verdadeiros sucessores dos Apóstolos, que se encontram inseridos nessa assembleia mista de leigos e eclesiásticos professando ser um “Sínodo de Bispos” e que em breve se reunirá em Roma, nós, as leigas católicas abaixo assinadas, exigimos provas de que, de facto, continuais a professar a fé católica.

Especificamente, perguntamo-vos o seguinte:

Partilha da fé ininterrupta da Igreja de que certas acções podem ser qualificadas como moralmente más com base na sua natureza, independentemente da intenção por trás delas ou das respectivas consequências para quantos nelas estejam envolvidos? (Veritatis splendor, nº 79 e 82)

Sustenta o primado absoluto da ordem moral objectiva enquanto, por si mesma, supera e adequadamente coordena todas as outras esferas das actividades humanas? (Vaticano II, Inter mirifica)

Professa, com o Concílio de Nicéia, São João Paulo II e toda a tradição da Igreja, que, por lei divina, somente homens baptizados podem receber a imposição das mãos necessária para a sagrada ordenação, pelo que as mulheres baptizadas, necessariamente e para todos os efeitos, sempre se hão-de contar entre os fiéis não ordenados? (19º Cânone de Nicéia; Ordinatio Sacerdotalis)

Sustenta o ensinamento ininterrupto da Sagrada Escritura e da Sagrada Tradição de que os actos homossexuais são actos de grave depravação, objectivamente desordenados e contrários à lei natural, que em nenhuma circunstância podem ser aprovados? (Catecismo da Igreja Católica, nº 2357)

 

 

Sustenta a doutrina de que o Espírito Santo foi prometido aos sucessores de Pedro, não para que estes, por uma revelação do mesmo, pudessem dar a conhecer alguma nova doutrina, mas para que, assistidos por Ele, pudessem conservar religiosamente e expor fielmente o depósito da fé ou revelação transmitida pelos Apóstolos? (Vaticano I, Pastor Æternus)

Sustenta a fé da Igreja de que a fé por si só é preparação insuficiente para receber o sacramento da Santíssima Eucaristia, e de que, ao invés, quantos tenham a própria consciência onerada por qualquer pecado mortal, por mais contritos que se julguem, têm necessariamente de fazer primeiro a confissão sacramental? (Concílio de Trento, Decreto sobre o Sacramento da Sagrada Eucaristia, cânone 11)

Sustenta a doutrina de que o carisma da verdade, que certamente está, esteve e sempre estará na sucessão do episcopado desde os apóstolos, foi dado, não para que o dogma possa ser adaptado de acordo com o que parece melhor e mais adequado para a cultura de cada época, mas para que a verdade absoluta e imutável pregada pelos apóstolos desde o início nunca se possa acreditar ser diferente, nunca possa ser entendida de qualquer outra maneira? (Pio X, Sacrorum Antistitum)

Porque, se não acreditais, junto com a Igreja, em cada um destes pontos, então sois falsos pastores a quem as ovelhas de Cristo – que ouvem a Sua voz e O seguem – não podem seguir.

30 de Setembro de 2023 — Festa de São Jerónimo, Doutor da Igreja,
e dies natalis de Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face, Doutora da Igreja